João Carlos Marinho atende leitores durante sessão de autógrafos na Bienal do Livro

O Gênio do Crime foi um dos livros que eu mais gostei, e a minha geração adora esse livro”, afirma emocionada a escritora Andrea Viviana Taubman, de 49 anos, após conhecer João Carlos Marinho durante a sessão de autógrafos que aconteceu no último sábado, 23, na Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Recebido com muitas fotos, Marinho atendeu seus leitores no estande da Global Editora durante 4h30 ininterruptamente.

Publicado pela primeira vez em 1969, O Gênio do Crime inaugurou a Turma do Gordo, que fez parte da infância de muitos na época, mas ainda cativa jovens leitores. O estudante José Eduardo Machado tem 12 anos e visitou a Bienal com a escola. Preocupado com o horário de saída marcado para 15h30, José posicionou-se em primeiro lugar na fila para garantir seu autógrafo. “Eu já li Sangue Fresco e agora vou ler O Livro da Berenice. Comecei a ler por causa da escola, aí gostei da aventura e agora peguei outro [livro]”, diz o estudante.

O sucesso dos livros de Marinho se dá pela “capacidade de envolver o leitor no clima de aventura e mistério”, afirma o professor de Direito Diogo Rosenthal, que chegou ao estande com um envelope pardo contendo inúmeras obras para serem autografadas. Leitor assíduo há pelo menos 25 anos, Diogo começou a ler na escola e não parou mais. “A turma do Gordo é uma turma cujos personagens são todos muito interessantes e divertidos”, relata o professor.

Frequentemente, devido ao sucesso de suas premiadas obras, João Carlos Marinho recebe pequenos grupos de alunos em seu condomínio para um bate-papo. No dia 10 de setembro, sob a coordenação da professora Eliana Veira, 24 estudantes se encontrarão com o autor. “Neste ano, meus alunos estão lendo O Gênio do Crime, que foi um livro muito marcante na minha infância e de muitos pais”, afirma a professora. “O João Carlos Marinho é muito próximo de seus leitores”, completa. O carinho com que Marinho trata seu público é mútuo: durante a sessão de autógrafos, o autor foi presenteado por alguns de seus leitores. Um dos presentes foi um álbum de figurinhas feito por uma fã, referência ao enredo de O Gênio do Crime.