Mais de 100 Histórias Maravilhosas e a literatura fantástica de Marina Colasanti

“Seis palavras bastam para costurar um conto fora das margens. Com tão pouco, nos remete a cargas culturais, fala de mistério, diz da consistência do impalpável, e encerra uma viagem do imaginário” 

No Posfácio de Mais de 100 Histórias Maravilhosas, Marina Colasanti conta da sua necessidade de escrever histórias que saiam do lugar comum. Ou seja, histórias que saíam da sua rotina como editora no Jornal do Brasil. “Escrever dentro dos limites rígidos impostos pelas molduras estilísticas nunca foi o meu forte”, completa. 

Analisando alguns dos seus livros de perto, e estudando os elementos que os compõem, é possível dizer que a escritora é apaixonada pela “forma” e “estilo”, mudando e adaptando sua escrita para se encaixar nos moldes que ela quer explorar então. Mas como isso afeta os elementos fantásticos, que estão sempre presentes na obra? 

O conceito de “narrativa fantástica” pode e deve ser amplo, algo estudado por meio de uma base mais realista, ou até mesmo em mundos desconhecidos e alternativos. Quase todas essas histórias, no entanto, tem uma coisa em comum: tramas que falam diretamente com a nossa realidade. Seja por meio da estrutura política e social da narrativa, ou pelo arco dos personagens em si, uma história fantástica é, em sua totalidade, relevante. Ela não necessariamente precisa conter “verdade”, mas precisa sim, ter verossimilhança, ser plausível de alguma forma que os conecte à realidade. 

Mais do que isso, é possível dizer que a literatura fantástica tem um papel fundamental na hora de criar e alimentar leitores jovens. Com uma estrutura que introduz a situação, os personagens e a realidade que eles estão inseridos com base na memória cultural dos mesmos, contando também que o narrador faz toda a diferença, os contos fantásticos abrem o escopo da imaginação presente na cabeça das crianças, e permite que eles se tornem leitores mais ávidos e críticos. O que nos leva a trajetória de Marina Colasanti como escritora durante todos esses anos. 

Marina Colasanti tem uma longa e próspera carreira e todos os seus livros publicados reforçam sua versatilidade profissional. Além de ser jornalista, tradutora e ilustradora, Marina escreveu durante a maior parte da sua vida e explorou, ao longo de mais de 50 anos, todos os tipos de escrita proeminentes. Com uma caneta tão frutífera, seus livros se tornaram referências e revisitar alguns deles é entrar em um mundo familiar e, ao mesmo tempo, novo. É por isso que a autora fez várias “retomadas” de contos já contados e explorados anteriormente, oferecendo um novo viés em contextos já conhecidos, por exemplo. 

Consequentemente, grande parte da sua carreira foi construída por meio de histórias infanto-juvenis. Essa característica, inclusive, pode ser vista muito no já citado, Mais de 100 Histórias Maravilhosas, livro que contém contos com elementos fantásticos. Com uma base muito forte na realidade, as narrativas transbordam surrealismo e irrealismo, criando uma mistura única e pertinente, que levam as emoções intensas, ora motivadas pelo medo, ora por curiosidade. 

A qualidade imersiva dos contos é predominante e algumas histórias podem até mesmo serem lidas com uma espécie de conexão. Com livro dividido em partes, onde os contos se transpõem, existe um setor onde o leitor conhece um viajante, que passa a contar histórias interessantes. Essa parte da obra é conhecida como “23 Histórias de um Viajante”. Ao inserir quem está lendo no universo deste mesmo viajante, é quase possível se sentir parte das tramas, algo reforçado pela conexão criada no fim desta parte específica do livro. 

No resultado final, Mais de 100 Histórias Maravilhosas se mostra uma bela introdução ao jeito que Marina Colasanti vê o mundo e a estrutura das suas narrativas em si. No posfácio do livro, inclusive, ela conta um pouco mais sobre sua carreira como escritora e como foi abraçado, aos poucos, novos estilos, gêneros e como isso influenciou o seu crescimento e concepção como uma das maiores escritoras do país.